Inspiração é algo que todos buscam de alguma forma. E é normal nos sentirmos encurralados por ideias batidas e com zero grau de criatividade. Por exemplo, definir a pauta para um novo artigo e efetivamente escrevê-lo. Pode ser uma tarefa muito fácil como também pode ser um parto doloroso e demorado.

No meu caso, considero que esse artigo em especial está no “meio termo” da escala, pois o tema já estava todo desenvolvido na minha mente, mas por outro lado, tive dificuldade porque decidi evitar fazer muitas pesquisas para não reproduzir pensamentos de outros. Afinal, a gente cria coisas novas a partir de referências existentes. E de alguma forma, quis fazer esse teste comigo mesma. Desde a criação do título até a conclusão. Você verá que usei poucas fontes.

Bom, o que quero dizer é que é natural e saudável buscar informações importantes para trazer luz às nossas ideias. O caminho mais comum é pesquisar conteúdo de pessoas que já temos como referência e aquelas que admiramos. Temos ídolos e pessoas-chave, aquelas nos inspiram e com as quais nos identificamos. Podemos e devemos recorrer a estas pessoas (mesmo que de longe) nesses momentos. Veja bem, usei a palavra “inspirar” e não foi sem querer. É aí que existe uma grande diferença: inspiração e cópia.

Neste contexto, comecei a refletir sobre a simples e ao mesmo tempo complexa diferença entre o ato de se inspirar e copiar alguém ou alguma coisa. Meu objetivo com este texto é também um auto exercício de mente e emoções para manter a autenticidade. por vezes podemos nos perder no meio do caminho e absorver influências exageradas. O objetivo é também clarear a mente sobre conceitos que ajudam a preservar o nosso “Eu Original”, como já disse minha amiga e cliente Giane Porto de Mello Gatti.

Vamos lá!

INSPIRAR X COPIAR

. Inspirar: do latim inspirāre, segundo o site Infopédia, além de significar introduzir ar nos pulmões, gostei da definição de “provocar ideias, pensamentos, suscitar e originar”. Ou seja, é usar alguma referência para criar algo novo, seu, original, próprio. Por exemplo: você pode se inspirar com música, livros, batendo papo e trocando experiências com alguém. Tudo isso pode te ajudar a estimular novas ideias. Destaque para: Original!

. Copiar: do tupi copi’ara, ainda de acordo com o Infopédia, significa “fazer a cópia de, reproduzir fraudulentamente; plagiar, reproduzir uma obra; imitar alguém ou as suas maneiras; reproduzir um original; consultar dissimuladamente respostas, soluções de outra pessoa durante um exame escrito…”

Ou seja, dizer que você fez algo que na verdade tem a assinatura de outra pessoa. Reproduzir alguma coisa, tal qual ela foi feita originalmente, sem mudá-la. Plagiar uma postura, uma ideia, dissimular, e copiar um trecho de texto, por exemplo.

O PROBLEMA

O problema é quando todos “se inspiram nas mesmas coisas” e sem querer fica parecendo que tudo é cópia. Sinceramente, não sei a solução para isso, já que o ambiente digital nos dá infinitas possibilidades.

Copiar pode ser tentador para muitos. O caminho mais fácil, rápido, burro e extremamente sem graça ao meu ver. Na verdade, eu confesso que tenho um pouco de pavor disso. É que pra mim a autenticidade é um valor humano importante, então eu não conseguiria ficar tranquila com uma vida dessas. Sempre tive aquela necessidade de inventar, de criar e ter coisas autorais. Mas, olha, eu não estou falando de coisas simples do dia a dia, me refiro a uma postura de vida, sabe? Há de convir que é muito comum e natural que a gente faça coisas muito parecidas. Eu e você!

Por exemplo, eu e muitos colegas fazemos coisas do tipo: escrevemos toda semana no Linkedin; produzimos conteúdo sobre marketing digital, publicamos em nossos blogs, prestamos consultoria de marketing, damos palestras, aulas e etc. Não é disso que falo. Afinal, essa é a nossa profissão. É sobre algo mais profundo. É sobre uma escolha e decisão por uma conduta. Nem vou entrar no quesito Ética. Apenas quero dizer que é muito mais gostoso, realizador, correto, compensador, emocionante, impactante e INSPIRADOR ter projetos autorais e verdadeiramente inspirados e não copiados.

Como buscar inspiração e criatividade

Inspiração e criatividade são duas palavras que devem andar juntas. Mas, tem algo que eu sempre acredito ser o centro de tudo: o Propósito de vida. Portanto, tenha um bem definido. Depois desse passo, as coisas ficam mais claras e fazem mais sentido. E então a gente consegue ser cada vez mais autêntico e criar uma identidade própria nesse mundão de meus Deus. Destaco a seguir cinco ações para buscar inspiração e ter ideias originais e inovadoras.

1) Tenha um objetivo claro e foque nele

Esse é o primeiro passo para buscar inspiração. Aonde você quer chegar? Qual é o seu objetivo profissional? O que pretende alcançar com o seu projeto? Essas perguntas devem ser respondidas para que seja iniciado o processo de criação de um conteúdo ou de uma campanha de comunicação, por exemplo. Sem saber para onde quer ir, já começa tudo errado. Quando isso está definido, fica mais simples buscar inspiração em pessoas que você admira e aplicar o aprendizado à sua realidade e no contexto dos seus negócios.

2) Invista em conhecimento

Quanto mais você estudar, souber do seu mercado, conhecer as suas personas e se aprofundar nos seus temas-chave de conteúdo, mais embasamento terá para interagir de maneira única com os clientes. Para ser autoridade em um determinado tema você precisa estar totalmente focado e por dentro do assunto. Leitura, música, cursos, roda de amigos, Networking, redes sociais, grupos de Whatsapp, etc. Tudo isso é fonte de informação e conhecimento. Invista tempo nessas atividades e na relação com as pessoas, mas dedique-se em primeiro lugar a você. Vai fundo que dá certo!

3) Saia do óbvio e da zona de conforto

Um dos problemas frequentes que todo empreendedor enfrenta é ficar preso à sua zona de conforto. Na correria é difícil ser disciplinado para buscar e fazer coisas novas. Porém, quando se quer inspirar e não copiar, é fundamental estar sempre se reinventando. Ter novas experiências, conhecer novas realidades e novas áreas é uma rica fonte de inspiração. Coma comidas diferentes, viaje para países, cidades e lugares que não sejam tão turísticos, arrisque-se numa aula de dança ou num esporte novo para você, faça um esforço para ir àquela festa que na sua cabeça será chata… Sair da zona de conforto = a se surpreender e ser mais feliz.

4) Pratique solitude e relaxe mais

Na boa, ninguém precisa e deve focar 24h por dia nos negócios. Pare com essa mania. É muito possível honrar com seus compromissos e ainda se curtir e se concentrar em atividades mais relaxantes. Os momentos de descontração com a família, amigos ou sozinho mesmo precisam existir. Na hora em que você está fazendo o que mais gosta é que o cérebro “desliga” da obrigação e então ele se abre para novas ideias. Passar tempo a sós com você mesmo não significa ser solitário. Se você se sentir triste por isso, tem coisa errada aí. Busque ajuda profissional e invista em autoconhecimento.

5) Transforme seu dia a dia e seus hábitos

Sair da rotina é outra dificuldade. Parece que o ser humano tem uma fixação por fazer sempre as mesmas coisas. A partir do momento que você se permitir sair da rotina, tenha certeza que tudo que fizer trará inspiração e visões diferentes. É importante sim ter uma rotina, de forma saudável. Em alguns momentos, nem que seja uma vez por mês, se permita mudar algum detalhe. Mude o caminho para o trabalho, converse com alguém que não conhece, suba um lance de escada ao invés de elevador…

Veja que não é difícil colocar em prática essas cinco ações e buscar ser uma pessoa mais inspirada. Com a informação digital, temos uma força tremenda para nos unir, nos inspirar mutuamente e criar projeto, ações e negócios lindos, originais e inspiradores.

Muitas dúvidas podem aparecer no meio do caminho. Mas, de uma coisa eu tenho certeza: ser uma pessoa autêntica é uma questão de honra, realização, liberdade, convicção do propósito, autoconfiança e integridade.

Compartilhe comigo nos comentários as suas experiências. O que você faz para se inspirar e criar projetos mais autênticos?

Sobre o autor Veja todos os posts

Laíze Damasceno

Meu propósito é inspirar, emocionar e tocar o coração das pessoas. Acredito que Marketing não é apenas sobre marcas, serviços, produtos ou eventos. É sobre relações humanas. Sou fundadora do blog e autora do livro Marketing de Gentileza. Sou Jornalista, pós-graduada em Comunicação Corporativa, diretora da Angorá Comunicação, palestrante e Coach formada pela SLAC.