“Fazer o bem sem olhar a quem”. Quem de nós já não pronunciou essa frase? Ou melhor, quem de nós a utilizou para justificar ou até mesmo valorizar uma atitude pessoal, da qual consideramos nobre? Acredito que a maioria de nós.  Apesar de considerar o dito um tanto clichê, penso que ele tem sua importância, entretanto, já teve seu tempo marcado na história.

Sim! É preciso olhar, perceber, prestar atenção, e em algumas vezes, até tocar as pessoas. Isso é ser humano. Do contrário, qual a importância das pessoas? No dia a dia damos conta das metas e objetivos não construídos por nós, executamos tarefas e posições que nos foram oferecidas, em alguns casos até impostas, e nem se quer refletimos a respeito disso. Alguma vez você parou pra pensar que boa parte dessas atribuições não têm sentido pessoal?

É aí que entra a importância de estar preparado. Ao concordar em realizar tarefas com as quais você se compromete, já te passou pela cabeça de que na verdade você está se colocando na posição de servir? E como diz o nosso bom amigo dicionário da Língua Portuguesa, servir é ser útil a alguém ou a algo, auxiliando-o a realizar ou conseguir alguma coisa; é ajudar.

Concordo que isso pode ser considerado fácil se o pensamento estiver limitado à perspectiva pessoal. Agora, e nas empresas? Como seria? Aqui pra nós, é neste ambiente que o exercício de servir se torna maior e mais exigido. Não é difícil encontrar pessoas mal humoradas realizando atendimentos, seja presencial, por telefone ou virtual.

Independente do canal elas estão comunicando marcas. Por várias vezes já vivi essa experiência.  Confesso que chego a sentir pena daquele profissional cabisbaixo, zangado e que nem se quer olhar para o cliente. As pessoas têm uma aparência tão sofrida que dá vontade de sugerir que procure uma ocupação que a faça feliz.  Talvez aquele não seja mesmo o lugar dela.

Logo, servir não é difícil nem requer sacrifício. Também não tem nada de humilhação. Mas, pede humildade.

5 DICAS PARA SERVIR ATRAVÉS DAS ATRIBUIÇÕES

  1. Realizar as tarefas com alegria. Pense que, no fundo, a escolha foi sua.
  2. Ser cordial principalmente com quem você não conhece.
  3. Mostrar-se educado sempre, inclusive, nas situações adversas.
  4. Executar atribuições além do que esperam de você.
  5. Ser pró-ativo e tentar se antecipar aos problemas ou soluções.

Essas pequenas atitudes, se incorporadas naturalmente à rotina, serão notadas e vão te ajudar a ser um profissional mais realizado. Isso significa que não rola dizer que faz o seu e pronto. Escolha ser feliz, inclusive, com o seu serviço. Assuma que se relacionar é servir. Vista a camisa da felicidade dos pequenos aos maiores atos. Você vai degustar gestos gentis, sorrisos espontâneos, agradecimentos sinceros, e sabe o que é mais legal? Aquele tão desejado reconhecimento. E aqui não me refiro apenas ao aspecto monetário. É claro que ele é muito importante. Mas, boa parte das vezes saber que você faz a diferença, alegra a alma e faz cócegas no coração.

Autora: Cristina Caldogno
Jornalista com MBA em Marketing pela UFF e MBA em Gestão Empresarial com Ênfase em Saúde pela FGV. Especialista em gestão para a Sustentabilidade, com vasta experiência  e atuação na Unimed-Rio e na Federação das Unimeds do Estado do Rio de Janeiro, entre 1999 e 2016. Forte atuação nas áreas de comunicação interna e corporativa, produção de conteúdo para sites, boletins, relatórios e apresentações.

Sobre o autor Veja todos os posts

Cristina Caldogno

Jornalista formada pela Universidade Salgado de Oliveira (Universo), com MBA em Marketing pela Universidade Estácio de Sá e Universidade Federal Fluminense (UFF), e MBA em Gestão Empresarial com Ênfase em Saúde pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Forte atuação nas áreas de comunicação interna e corporativa, produção de conteúdo para sites, boletins, relatórios e apresentações. Especialista em gestão para a Sustentabilidade. Grande e diversificada experiência na área de saúde, com atuação na Unimed-Rio e na Federação das Unimeds do Estado do Rio de Janeiro, no período entre 1999 e 2016.

Deixe uma resposta