Talvez você não saiba, mas as mulheres hoje são maioria quando se fala em usuários de tecnologia mundial. Um recente estudo realizado pelo site Mashable nos Estados Unidos, aponta as mulheres como sendo 64% dos usuários do Twitter, 58% dos usuários no Facebook e massivos 82% dos usuários do Pinterest.

No nosso país, mulheres representam 53% dos usuários de internet e 50,2% de todo o comércio eletrônico. Contudo, mesmo representando números tão expressivos como consumidoras de tecnologia, as mulheres na outra ponta são praticamente raridade.  Segundo dados do IBGE, apenas 7% dos profissionais de TI são mulheres e esse número é ainda menor se considerarmos que apenas 3% das startups tecnológicas são lideradas por mulheres – resultados Google Diversity Search.

“As mulheres são o ativo econômico mais subutilizado na economia mundial.”

José Ángel Gurría Treviño – Secretário-Geral da OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico)

Ainda que velado, existe o descrédito de quanto as mulheres podem empreender e inovar. Mulheres ainda não tem voz na mesa da inovação. Mas essa é uma citação que pode mudar. Há mulheres dedicadas reescrevendo essa história.

Technovation02Conheça o Projeto Technovation Challenge Brasil

Foi durante nossa participação no evento “Mulheres Digitais – O Poder Feminino no Mercado Digital – 2ª Edição”, do dia 12 de Março que conhecemos o Projeto Technovation Challenge –  Brasil, programa inovador que incentiva meninas de 10 a 18 anos a serem empreendedoras da tecnologia, mergulharem no mundo da programação digital e desenvolverem seus próprios aplicativos de celular para solucionar um problema social.

A programação consiste em selecionar times nas divisões de Ensino Fundamental e Médio, inscritos pelo site do projeto Technovation Challenge Brasil, para trabalharem na programação e desenvolvimento da estratégia de negócios de um aplicativo que solucione um problema real, durante 12 semanas.

As finalistas de etapas regionais viajam para o Vale do Silício, Estados Unidos, para apresentar seus aplicativos e planos de negócios para investidores na final mundial, e concorrem ao prêmio de U$10.000 dólares para lançar o aplicativo no mercado. Além disso passam a fazer parte de uma rede de contatos e recursos que as ajudará a seguir na trajetória empreendedora da tecnologia.

“Aos poucos podemos mudar o mundo! Cada uma de nós vai mudando o mundo da outra e compartilhando o bem, incentivando e transformando.” Nathália Goes – 3º lugar final mundial Technovation 2013, Embaixadora Regional do Technovation Baixada Santista e Coordenadora do Programa nível Brasil

O programa hoje está revolucionando o mundo, presente em mais de 60 países, com mais de 500 aplicativos criados e já conta com mais de 5.000 jovens meninas empreendedoras. Tivemos a oportunidade de conversar mais com Christianne Poppi (Diretora Executiva –  Technovation Brasil) e com Nathalia Goes (Coordenadora – Technovation Brasil).

Confira nossa entrevista na íntegra e aproveite:

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza: Acredito que para muitos, o Projeto Technovation ainda é uma novidade. Podem nos contar como tudo começou e como foi a 1ª edição com a participação de um time brasileiro?

Nathalia Goes: Tudo começou com uma brasileira, a Mariana Rutigliano, que trabalhava na Iridescent, ONG americana que realiza o Technovation, e que tinha muita vontade de trazer o programa para o Brasil. Até que na temporada de 2013 o programa se tornou global e ela viu a oportunidade de fazer isso acontecer. Nesse ano ela entrou em contato com a escola onde estudou no seu ensino médio em Santos, no litoral de São Paulo, e lá foi formado o primeiro time brasileiro a participar da competição, Solidárias. Em 2013 ninguém no Brasil sabia o que era o Technovation, então foi um trabalho muito grande de correr atrás do que era necessário aprender para conseguir completar o app e todas as entregas do programa.

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza: Qual o papel direto de vocês no desenvolvimento do Projeto Technovation Brasil?

Christianne Poppi: Nosso papel é adaptar e criar novas oportunidades para o Brasil, considerando as estratégias e objetivos globais. Fazemos a ponte da competição no Brasil com a equipe dos EUA (ONG organizadora do programa, Iridescent), e cuidamos de toda a operação brasileira, que vai desde os detalhes específicos da competição, passando pela adaptação de conteúdo (vídeos, tutoriais, traduções), eventos, parcerias, e suporte aos times de meninas, mentores e embaixadores.
Priscila Rossetto Costa - MD- MG- Technovation03

Mayra Tinoco, Nathalia Goes (Embaixadoras e Coordenadoras – Technovation Brasil), Priscila Costa (blog Marketing de Gentileza), Christianne Poppi (Diretora Executiva – Technovation Brasil)

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza:  A parceria Technovation e ThoughtWorks Brasil ainda permanece? Quando se uniram, qual foi o desenvolvimento do trabalho para o impressionante resultado de 01 único time brasileiro participando do Projeto em 2013, para 74 times inscritos e concorrendo em 2014?

Christianne Poppi: Sim. O objetivo da parceria era levar o programa para outras regiões do país. Normalmente fazemos parcerias com empresas, organizações ou grupos que queiram divulgar o programa em sua região e atuar como representante do Technovation. Chamamos essas pessoas de Embaixadores, e são eles que fazem o programa acontecer em escala. Em 2015 o salto foi ainda maior, 300 times participantes. Uma grande parte disso se deve ao fato de que a cada ano, o número de pessoas querendo se envolver e divulgar o programa aumenta. Costumamos dizer que o Technovation é um movimento, que só funciona porque as pessoas realmente acreditam nos resultados do programa em termos de desenvolvimento de habilidades e na criação de experiências que ficam marcadas para o resto da vida! 

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza:  Nathalia Goes é veterana no Projeto e participou ativamente em 2013 quando seu time ganhou o terceiro lugar na final mundial. Em muitas ocasiões, ela já divulgou que foi uma oportunidade que mudou para sempre a sua vida. O que acreditam que mais muda na vida dessas meninas?

Nathalia Goes: Acredito que a principal mudança que eu senti e que vejo nas meninas é de se sentir capaz de fazer qualquer coisa que quiser, não se limitar por ser mulher ou por ser muito nova, mas sim usar isso a seu favor para correr atrás do que quiser.

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza:  Christianne Poppi reconfirma que “As mulheres são as maiores consumidoras de tecnologia no mundo, e ainda sim são as que menos participam de sua criação”. Após algumas edições do Projeto Technovation, estão sentindo uma mudança significativa nesses dados?

Christianne Poppi: Sim! Temos exemplos incríveis de meninas que participaram das últimas edições e que hoje decidiram seguir a carreira técnica. Vendo na prática, a gente percebe que é sim possível trazer a mudança. O importante é apresentar as possibilidades para essa nova geração. Muitas meninas contam que nunca consideraram a carreira em Ciências da Computação, Engenharia e et, simplesmente porque não sabiam que essas carreiras também eram uma opção real para elas. 

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza:  O Projeto é exclusivamente voltado para meninas, de modo que elas não se sintam intimidadas com o “clube do bolinha” que até então era marcar registrada no mercado de Tecnologia e Ciência da Computação. Porém os mentores não são sempre mulheres. Qual o processo de escolha dos mentores e mentoras?

Christianne Poppi: Acreditamos que a conscientização do problema precisa ser feita em todos os âmbitos, por isso, apesar de focarmos em desenvolver as meninas, buscamos também conscientizar os meninos e homens com quem cruzamos nessa trajetória. É impossível vencer essa luta se os homens não participarem dela também, por isso abrimos para mentores homens e mulheres guiarem os times. O processo é muito simples: profissionais de tecnologia, negócios, empreendedorismo, comunicação/marketing, que se interessem em desenvolver jovens, e principalmente, que queiram apoiar o movimento e ajudar nessa quebra de estereótipo.

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza:  O programa além de incentivar que as mulheres mergulhem nesse mundo da Tecnologia e Ciência da Computação, tem a grande missão do Empoderamento Feminino. Como é empoderar adolescentes, cheias de dúvidas, questionamentos e medos?

Nathalia Goes: É fantástico ver como as meninas se desenvolvem ao longo do programa, elas se conscientizam não só da questão de mulheres em tecnologia, mas de diversas questões sociais. Isso acaba mostrando para elas outras opções de carreira e futuro. Vejo que muitas meninas, depois do programa, passam a considerar carreira de tecnologia e também entendem como o conhecimento adquirido no programa pode abrir novos horizontes para elas futuramente independente da área que irão atuar.

Christianne Poppi: O mais impactante na minha visão, é perceber o quanto essas meninas mudam de percepção sobre elas mesmas no decorrer do programa. A grande maioria começa cheia de dúvidas, achando que não são capazes, e terminam completamente diferente, como uma segurança enorme e vontade de fazer acontecer (independente de ser em tecnologia ou não). O que elas aprendem vai muito além do técnico… elas aprendem a não ter medo de falhar, a persistir e correr atrás do que se quer. E elas finalmente enxergam que podem fazer tudo isso, independente de gênero e classe social.

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza:  Sobre o recente documentário “Code Girl” que nasceu da parceria entre o Google e a diretora cinematográfica Lesley Chilcot, documentando e registrando o Projeto Technovation. O que mudou após sua divulgação e propagação?

Christianne Poppi: Sentimos que o assunto veio realmente à tona, e que muitas pessoas que nunca tiveram contato com o tema, se interessaram e passaram a perceber a importância de se trabalhar com jovens meninas.

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza: Por que fiz? Por que posso!! 10% inspiração e 90% transpiração. O tema de vocês é extremamente motivacional e para lá de verdadeiro. Sem dedicação e trabalho não há resultados. Quais os planos para o futuro? Quais as expectativas para o desafio 2016?

Christianne Poppi: O plano é de ampliação e escala no Brasil. Buscamos alcançar cada vez mais meninas em regiões mais distantes e sem estrutura. Para isso, contamos com embaixadores e parceiros que possam nos ajudar a chegar em cada cantinho do país!

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza: Qual mensagem gostariam de deixar para todas as mulheres que tem um sonho, para que acreditem e sigam com ele?

Nathalia Goes: Tente! Tentar dar essa chance a si mesmo, é o primeiro passo para fazer coisas incríveis! Nada é impossível e nós podemos muito mais do que imaginamos!

Priscila Costa | blog Marketing de Gentileza: Qual a visão da equipe Technovation Brasil sobre o trabalho desenvolvido pela equipe Marketing de Gentileza?

Christianne Poppi: Acreditamos muito no poder das relações, de que cada ser humano tem a possibilidade de mudar vidas, transformar realidades e perspectivas. Assim como o Marketing de Gentileza, o trabalho do Technovation é voltado justamente para esse propósito: de que cada um de nós tem o poder de transformação. ​ E a cada dia que passa, é possível enxergar essa mudança nos olhos brilhando de cada menina e mulher que participa dessa jornada. É fundamental que existam projetos que tragam esse senso de poder e que mostrem que a capacidade de mudança está em nossas mãos. ​

Se você, assim como nós, se identificou com o Projeto Technovation e acredita que juntos podemos ser a mudança, compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

Fique à vontade também para deixar seus comentários abaixo.

Sobre o autor Veja todos os posts

Priscila Costa

Paulista, 31 anos, Secretária Executiva, Tradutora & Intérprete e formada em Gestão de Pessoas. "Acredito em um mundo feito de pessoas, por pessoas e para as pessoas. Não há vida sem relacionamentos, seja qual for o seu nível. Para todos os relacionamentos e níveis, tenho uma premissa, a Gentileza. Essa pode transformar o mundo!"